O objetivo deste blog é expor algumas realidades históricas distorcidas pela propaganda esquerdista.
Baseado em livros, documentos e entrevistas, aponta fatos que a mídia quase não publica.
Nasci em 1960 e acreditei em algumas destas mentiras.
Só depois de deixar de agir como um carneiro de Panúrgio, é que fui atrás da verdade dos fatos.
Nada do que está escrito aqui é minha criação.
Esse material pode ser facilmente encontrado por quem estiver disposto a aprender.

"Deturparam Marx, ele jamais falou em matar pessoas"

É muito comum, entre os fanáticos de esquerda, dizer que "deturparam Marx". Milhares já disseram esta frase no velho estilo de mentir sempre até que se acredite nas próprias mentiras. É a única forma de não acordar e não buscar a realidade.
 

Stalin subiu ao poder dizendo que Trotski estava "deturpando Marx" e que era ele quem queria o verdadeiro marxismo. Subiu ao poder fazendo um marxismo muito pior que o de Trotski matando mais de 20 milhões de pessoas.
Então surge Mao Tsé-Tung dizendo que esses eram todos revisionistas e que haviam "deturpado Marx" e que, ele sim, faria o verdadeiro Marxismo. Acabou matando 70 milhões de pessoas.




Grande Crise de Fome (1958-1961) na China.
Décadas de governo comunista fizeram com
que o país tivesse grandes crises de alimentação.
Mao disse que Marx foi deturpado e que o seu
marxismo era o único "verdadeiro".


Antes de Marx e Engels, nenhum ideólogo de qualquer espécie havia jamais proposto a liquidação de "povos inferiores" (expressão do próprio Marx) como prática deliberada e condição indispensável para a instalação de um novo regime. Nem mesmo Maquiavel havia pensado numa coisa dessas. O genocídio é criação sui generis do movimento socialista, e sete décadas se passaram antes que uma dissidência interna desse movimento desse origem ao fascismo e depois ao nazismo, que tardiamente adotou a fórmula do morticínio salvador, então já posta em prática por Lênin na URSS.

Não é possível que "professores" de nossas escolas não saibam disso e continuem apenas tentando doutrinar nossos filhos com esse lixo.
Assim passam a ideia falsa de que todas as mortes são uma deturpação do ideal e que Marx era, na verdade, um santo e que seu pensamento foi usado por homens maus que, provavelmente, estavam a serviço do capitalismo ou da "burguesia".
Todas as ideias de Marx se resumem ao velho "os fins justificam os meios". Só que o fim nunca chega, ou melhor, o fim é a pobreza e a destruição da cultura, como se nota em todos os lugares onde o comunismo tomou o poder, e os meios são a mais sangrenta matança de inocentes que já se viu.




 Vladimir Lenin e Joseph Stalin alguns dos 
que repetiram à exaustão a frase, "Deturparam Marx".
Milhões morreram por suas ideias de ódio e sadismo puro 
mas sempre com o "verdadeiro" marxismo. 



Mas quem era essa figura tão adorada pelos que se guiam apenas pelo que a propaganda fala, há quase dois séculos, e que acham que é "bacana" ser esquerdista?

Heinrich Heine, escreveu que “Marx se julga um Deus Ateu autonomeado”, e era seu amigo.
Quando humilhou publicamente o operário Weitling, Pavel Annenkov, traçou-lhe o perfil: “Falava sempre com palavras imperiosas, que não admitiam contradição, e que se tornavam ainda mais incisivas pela sensação quase dolorosa do tom que perpassava tudo o que dizia. O tom expressava a firme convicção de sua missão de dominar a mente dos homens e de lhes ditar suas leis. Diante de mim erguia-se a encarnação de um ditador democrático.”
Proudhon, considerado pelo próprio Marx "o mais notável socialista francês", em resposta a uma carta de Marx convidando-o a ser membro do Comitê Comunista de Correspondência disse: ...“Devo ainda fazer algumas observações à expressão “momento de ação revolucionária de v. carta. Eu creio que não temos necessidade disso para vencer, e que, consequentemente, não devemos colocar a ação revolucionária como meio de reforma social, porque esse meio seria simplesmente um apelo à força, ao arbítrio; em suma, uma contradição.”
Proudhon, a rigor, jamais encarou o socialismo como uma ciência e repudiou sempre qualquer forma de ditadura, em especial a do proletariado. Depois de ler o arrazoado marxista, o francês resumiu-se a anotar num canto de página: “Um tecido de grosserias, calúnias, falsificações e plágios. Marx é o verme do socialismo.”

Marx disse que:  


"As classes e as raças, fracas demais para dominar as novas condições de vida, devem ser submetidas à dominação.
Quando a revolução socialista acontecer, quando a guerra de classes acontecer, haverão sociedades primitivas na Europa dois estágios atrás, porque elas nem sequer são capitalistas ainda.
Os bascos, os bretões, os escoceses, os sérvios, que chamo de "lixo racial" tem que ser destruídos porque, estando dois estágios atrás na luta histórica, será impossível trazê-los ao nível dos revolucionários.
Os húngaros e os povos eslavos são imundos e a Polônia não tem razão para existir.
As classes e as raças, fracas demais para conduzir as novas condições de vida devem deixar de existir. Elas devem perecer no holocausto revolucionário."

 

          Engels e Marx em janeiro de 1849, jornal Nova Gazeta Renana, de Karl Marx.

 

George Watson, historiador da literatura da Universidade de Cambridge, baseado nos escritos de Marx e Engels disse: 

"Esse foi o ancestral do modelo político de genocídio.
Não se tem notícia de nenhum pensador europeu, num período anterior a Marx e Engels que tenha publicamente advogado um extermínio racial.
Não existe nada, mais antigo, parecido com isso. Portanto, começou com eles."


Para aqueles que, por inocência, ignorância ou má vontade mesmo, ainda insistem em dizer que Marx nunca falou em matar pessoas.
Ele falou e escreveu sobre isso textualmente de forma muito clara e direta. Como negar um fato documentado por seu próprio autor?

 



 
As ideias de Marx sobre classes e povos inferiores
que devem ser eliminados sendo postas em prática.

Era esse o comunismo que nossos Genoinos,
Dirceus e Dilmas, entre outros facínoras, 
tinham como meta para nosso país.
E ainda existem "mauricinhos de esquerda"
que tem orgulho deste tipo de conterrâneo.



Marx tentou destruir o prestígio de Bakunin, por quem nutria inveja acalentada pelo ódio, e publicou em seu jornal Nova Gazeta Renana informação de que o líder russo (Bakunin) era um "agente secreto da polícia czarista", dando como fonte suposta documentação em mãos da escritora Georg Sand (amante de Frédéric Chopin entre 1838 e 1847). Ao tomar conhecimento da calunia, Sand, indignada, exigiu imediata retratação. Marx justificou-se afirmando que assim procedia (mentia como sempre) “para defender o movimento socialista dos governos capitalistas”. Alguma semelhança com o que fazem, ainda hoje, os "moderninhos"?

Marx considerava que as leis morais não haviam sido criadas para ele.
A apropriação intelectual de Marx ultrapassa os limites da desonestidade. Toma como seu aquilo que foi criado por outros, sem apontar autoria. De Marat, se apropria da frase “o proletariado não tem nada a perder, exceto os grilhões”. De Heine, “a religião é ópio do povo”, de Louis Blanc, “de cada um segundo suas capacidades, a cada um segundo suas necessidades”, de Shapper, “trabalhadores de todo o mundo, uni-vos”, e, de Blanqui, a expressão “ditadura do proletariado”. Sua obra mais bem acabada, O Manifesto Comunista é plágio vergonhoso do Manifesto da Democracia, de Victor Considérant, escrito cinco anos antes.

Depois da inevitável derrocada da União Soviética, levantada a cortina do terror, viu-se que milhões de pessoas tinham sido destroçadas em nome de uma absurda “moral proletária”, que, estranhamente, parece ainda pontificar como se nada tivesse ocorrido.  Antes de ordenar, para dar um só exemplo, de maneira autoritária, que o cinegrafista de um documentário parasse de filmá-lo, o stalinista Oscar Niemeyer vociferou: “Matam tanto operário, é um regime de merda, qual é a importância que mataram lá, estão matando todo dia gente aí, invadindo as favelas”. Muitos operários morreram na construção da horrorosa Brasília. Todos os operários são iguais, mas alguns são mais iguais do que os outros.

Marx morreu só tendo como vítima, também, sua família. Abandonou os filhos. Dos que teve com a aristocrata Jenny três morreram na infância em decorrência da penúria (pelo abandono) e os outros três se mataram mais tarde. O único sobrevivente foi o filho que teve quando abusou da empregada Helene, o qual jamais foi reconhecido pelo pai e foi adotado por Engels para salvar as aparências. Jenny morreu com 43 anos envelhecida pelo desgosto e nunca perdoou Marx por ter engravidado a empregada.

Marx não compareceu ao enterro de seu pai pois segundo suas palavras "não tinha tempo a perder". Sua mãe, por esse motivo, cortou relações com o filho e, cansada de pagar por suas contas disse: "Você deveria juntar algum capital em vez de só escrever sobre ele". Marx jamais entrou numa fábrica ou pegou numa ferramenta.

Acabando este tópico sobre o "herói" dos psicopatas e histéricos fica frase do próprio Marx dirigida ao
amigo magoado (por Marx) Engels: "... em geral meu único recurso é o cinismo".


Vejam esse filme: 
A história do socialismo - Porque matar é fundamental:  https://www.youtube.com/watch?v=ml5uZ10U_JM

17 comentários:

  1. a verdadeira historia do socialismo, que ainda rege em grandes partes do mundo, como podem deixar nas escolas esse professores marxistas nos ensinarem tão errado assim dizer que Marx era um idealista que viu o sofrimento dos trabalhadores daquela época que trabalhavam em media 13 a 14 horas por dia, não adiantou nada quis ajudar a sociedade e acabou sendo difamado, como se ajuda exterminando nações de acordo com meus conhecimentos Karl Marx é o verdadeiro burro da historia

    ResponderExcluir
  2. Alguma informação interessante que eu ignorava e que vou verificar, sobre os plágios relativos a essas obras e sobre o contexto desta frase: "As classes e as raças, fracas demais para dominar as novas condições de vida, devem ser submetidas à dominação." Estamos no tempo do darwinismo em que se discutia que haveria raças humanas que não se poderiam adaptar a uma sociedade industrial. Mesmo assim, o que não o iliba totalmente, Marx e Engels consideram nas suas obras que os povos colonizados devem revoltar-se contra os colonizadores. Havia aquela conversa sobre os hotentotes, os pigmeus e outros povos que seriam raças a ser extintas. Provavelmente foi influenciado por isoo. Marx foi um pensador cujas ideias devem ser analisadas e discutidas e não endeusado ou transformado em santo que não foi, evidentemente. Quanto ao carácter de Marx, enfim, concordo inteiramente que era detestável. Essa discussão entre Marx e Weitling,um ex-alfaiate, dirigente da Liga Comunista, entristeceu-me muito na minha fase marxiana, pois mostra de fato o caráter intolerante e dogmático de Marx. A obra principal é O Capital. O Manifesto é uma coisa pequena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Filipe,
      não creio que se tratava de "raças" no sentido do darwinismo. Veja o que Marx publicou em seu jornal:

      "Quando a revolução socialista acontecer, quando a guerra de classes acontecer, haverão sociedades primitivas na Europa dois estágios atrás, porque elas nem sequer são capitalistas ainda.
      Os bascos, os bretões, os escoceses, os sérvios, que chamo de "lixo racial" tem que ser destruídos porque, estando dois estágios atrás na luta histórica, será impossível trazê-los ao nível dos revolucionários.
      Os húngaros e os povos eslavos são imundos e a Polônia não tem razão para existir.
      As classes e as raças, fracas demais para conduzir as novas condições de vida devem deixar de existir. Elas devem perecer no holocausto revolucionário."

      Janeiro de 1849, jornal Nova Gazeta Renana, de Karl Marx.

      "Esse foi o ancestral do modelo político de genocídio.
      Não se tem notícia de nenhum pensador europeu, num período anterior a Marx e Engels que tenha publicamente advogado um extermínio racial.
      Não existe nada, mais antigo, parecido com isso. Portanto, começou com eles."
      George Watson, historiador da literatura , Universidade de Cambridge baseado nos escritos de Marx e Engels

      Quanto ao suposto valor de O Capital, todas as "teses" falsificadas e absurdas nele contidas foram devidamente contestadas por Ludwig von Mises.

      Vou acrescentar nessa página as citações que coloquei aqui.
      Um abraço



      Para aqueles que, por inocência, ignorância ou má vontade mesmo, ainda insistem em dizer que Marx nunca falou em matar pessoas.

      Ele falou e escreveu sobre isso textualmente de forma muito clara e direta. Como negar um fato documentado por seu próprio autor?

      Excluir
  3. Vejam que comentário primário e simplesmente proselitista foi enviado a essa página. Uma vez que o 'autor' foi anônimo, não há necessidade de publicar, vou apenas esclarecer respondendo a cada frase de sua propaganda.

    Vou dividir em duas partes para não exceder o número de caracteres.

    PARTE I

    Anônimo: Marx era bem prático em relação ao sucesso da implantação do socialismo/comunismo mundial...

    Blog: Marx jamais trabalhou ou fez alguma ação prática. Nem mesmo cuidou de sua própria família.
    O sucesso de sua farsa pode ser visto em que parte do globo?
    A economia fictícia inventada por ele foi provada totalmente errada por Ludwig von Mises, entre outros economistas, já antes da 2a guerra. A política preconizada por ele só está sendo aplicada na Coreia do Norte hoje, 'com grande sucesso'. A luta de classes prevista por ele só existe na cabeça dos menos inteligentes, que ainda acreditam nessa propaganda e não querem ver o mundo real. Sucesso?

    Anônimo:Certamente o que fica implícito em relação ao extermínio de "raças" e classes em sua obra é que guerras iriam ocorrer porque determinados povos com determinado nível de inconsciência não iriam jamais aceitar o novo regime ("...será impossível trazê-los ao nível dos revolucionários....") e o combateriam ferozmente, assim não haveria outra alternativa para se obter o socialismo/comunismo no mundo todo.

    Blog: Esse é o pensamento que aproxima as ideias de Marx de um de seus frutos, o nazismo. Usar a palavra "certamente" já implica uma interpretação e uma vontade de fazer com que ele não tenha dito o que disse, mas sim o que se gostaria que tivesse dito.
    Dizer que existem povos com "determinado nível de inconsciência" é ser nazista, no sentido mais claro, ou, no mínimo, totalitário e genocida. É dizer que existem pessoas que, por não pensarem como ele gostaria, são inferiores e merecem morrer pois sua consciência é inexistente ou defeituosa. É a técnica de tornar o adversário uma 'não pessoa' para poder justificar sua escravidão ou eliminação. Nazismo aplicado.
    Para pessoas ignorantes como ele, TUDO se resume à economia e ao dinheiro. Ele disse isso claramente se referindo ao fato de que esses "povos inferiores não eram ainda capitalistas" e, portanto, eram pobres e de nada serviria dominá-los. Sua destruição não seria problema na busca pelo dinheiro dos outros.
    Realmente a única forma de se implantar essa desgraça totalitária é através de dominação. Por isso onde foi implantado, a primeira providência foi eliminar toda a intelectualidade, todo o pensamento, e colocar no lugar bandidos e criminosos. A segunda medida sempre é a mesma: eliminar os que ajudaram a instalar o regime, deixando apenas os escalões inferiores e mais controláveis atuando na base do medo.

    Anônimo:Marx não tinha influência de preceitos morais metafísicos no seu pensamento, daí é possível entender tamanha praticidade. O que ele antecipa/prevê é um alerta e uma verdade inevitável caso acontecesse a guerra de classes.

    Blog: Marx não tinha moral alguma. Basta ver as traições à própria família, aos amigos, à própria verdade. Ele falsificou dados para tentar encaixá-los em sua "teoria" absurda. A guerra de classes jamais existiu, exceto na cabeça dos que se deixaram levar por suas cretinices. Queriam que acontecesse na 1a guerra, na guerra civil espanhola, na 2a guerra, e nunca existiu. Mais uma prova de que seu "pensamento" nunca se confirmou verdadeiro, mais uma razão para que seja jogado no lixo da história e estudado apenas como fato probatório da maldade e do poder da ignorância humana quando alcança algum poder ou prestígio, como Hitler, Marx, Stálin, Nero etc.

    ResponderExcluir
  4. PARTE II

    Anônimo:Os povos que ele citou tem um senhor histórico de participação em guerras. Quando ele fala que são fracos, não confundir com dóceis.

    Blog: Não sei o que significa "um senhor histórico de participação" em qualquer coisa. Como nesta afirmação, pode ser que fraco não signifique desprovido de força. Uma vez que a confusão proposital e a inversão dos sentidos das palavras e dos valores é o objetivo para tentar emplacar um "pensamento" absurdo, isso pode significar qualquer coisa.

    Anônimo:Não creio que estivesse falando de "raças" no sentido do darwinismo também. Não creio que ele tivesse algo contra dóceis tribos indígenas, por exemplo, que não representassem um empecilho ao socialismo/comunismo.

    Blog: Aqui entram crenças, conversão religiosa ou metafísica. A pessoa "crê" em algo. Ele estava falando exatamente disso. Ele sabia que seu sistema só poderia funcionar através do domínio e expropriação. Sua "sociedade" era similar às dos povos que viviam da guerra. Quando não há mais inimigos para atacar, pilhar e roubar, acabam simplesmente. A mais valia sempre foi um conceito absurdo, e provado errado, desde sua invenção.
    Ele sempre soube que o empecilho ao socialismo era a verdade e as pessoas que a buscam. Povos livres jamais aceitariam um domínio totalitário e assassino e sem liberdade.
    Francamente onde jamais existiram "dóceis tribos indígenas"? Só mesmo nos textos do infeliz Rousseau. Os indígenas foram SEMPRE guerreiros e também destruidores da própria natureza à sua volta.

    Anônimo:Lembro que a obra de Marx não é um manual de extermínio, não tem como por todo o peso da coerência de Marx em um único parágrafo de um livro de mil páginas.

    Blog: Um veneno para insetos não é um manual de extermínio. Enquanto fica no armário e contido dentro de recipiente confiável. A APLICAÇÃO desse produto é que é 100% extermínio. Pode até ser que alguém, que se mostrou tão fora da realidade e cujas ideias nunca se confirmaram, possa ter pensado que não seria esse o fim inevitável da aplicação de suas "teorias". Podemos aqui dar a ele o benefício da estupidez culpada.
    Não se está tratando de "uma única frase num livro de 1000 páginas", ele publicou frases como essas, com fundo racista e genocida, durante meses em seu jornal.
    A pérola foi deixada para o final: a "coerência" de Marx! Onde está a coerência? Alguém que jamais trabalhou tentar teorizar sobre o trabalho? Alguém, que se pretenda filósofo, mentir descaradamente e propositalmente falsificando dados para tornar suas "teorias" menos absurdas?
    O filósofo é aquele que procura a verdade a todo custo, até mesmo dando sua vida, como Sócrates. Aquele que cria falsos dados para provar o que ele mesmo quer é um farsante e um charlatão.
    Farsante e charlatão foram adjetivos usados para qualificar Marx por vários de seus próprios amigos.
    A aplicação de suas "teses" já assassinaram mais pessoas do que todas as guerras já feitas até hoje. Pessoas desarmadas, em tempo de paz e mortas por seus próprios governantes. Seria essa a "guerra" de classes?

    ResponderExcluir
  5. "As classes e raças, fracas demais para conduzir as novas condições da vida devem deixar de existir. Elas devem perecer no holocausto revolucionário."

    *Marx. People's Paper. April 16, 1853.

    https://www.youtube.com/watch?v=UmI7_SWBUK4
    ** Journal of the History of Ideas. Vol. 42. No. 1. 1891.

    ResponderExcluir
  6. O COMUNISMO DEVERIA SER BANIDO, ASSIM COMO FIZERAM COM O NAZISMO, SÃO IGUAIS ENTÃO QUEM DEFENDE O COMUNISMO ABERTAMENTE DEVERIA SER PROCESSADO POR CRIME.

    ResponderExcluir
  7. O marxismo é silencioso, penetrante, distorce e corrói o ser humano!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só o marxismo cultural, o puro não, o puro é no estupro das vidas mesmo.

      Excluir
  8. Excelente texto. A verdade dói para esses esquerdistas HIPÓCRITAS!

    Por favor passe-me seu e-mail, que eu criei uma ilustração para o título do seu blog, e eu quero enviá-la.

    ResponderExcluir
  9. Oi,eu queria ler algum post que prove que o Nazismo e o Fascismo são de esquerda?Vocês teriam como me ajudar?Queria políticas desses regimes que provassem também essa idéia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi cara, desculpe demorar tanto para responder. Existem livros, filmes e documentos que provam que nazismo é socialismo e que ambos são parentes muito próximos do fascismo. Além do filme que indico aqui no blog tem alguns artigos que você pode achar nesses locais:

      http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=98

      http://olharatual.com.br/os-8-fatos-que-comprovam-o-nazismo-como-um-partido-de-extrema-esquerda/

      https://jephmeuspensamentos.wordpress.com/o-nazismo-era-socialista-ou-capitalista/



      Excluir
    2. Mais locais para pesquisa:

      http://www.olavodecarvalho.org/semana/verdadireita.htm

      http://www.olavodecarvalho.org/semana/081211dc.html

      Excluir
  10. Esse trecho do marx é real mesmo? Pq eu procurei bastante e não achei, não sou marxismo, mas busco a verdade, acho muito desonesto usar trechos mentirosos pra provar um ponto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei a que trecho se refere. Existem diversas fontes citadas aqui para pesquisa.

      Excluir

Escolha como perfil a opção Nome/URL e coloque seu nome ou use sua conta no google.
A moderação dos comentários é necessária para evitar ataques de hackers.
Em poucos minutos seu comentário estará postado.
Comentários sem nome não podem ser publicados.