O objetivo deste blog é expor algumas realidades históricas distorcidas pela propaganda esquerdista.
Baseado em livros, documentos e entrevistas, aponta fatos que a mídia quase não publica.
Nasci em 1960 e acreditei em algumas destas mentiras.
Só depois de deixar de agir como um carneiro de Panúrgio, é que fui atrás da verdade dos fatos.
Nada do que está escrito aqui é minha criação.
Esse material pode ser facilmente encontrado por quem estiver disposto a aprender.

"Che Guevara era um santo democrático que lutou pelo povo sofrido"

Para os comunistas e seus bajuladores, a morte (em alguns casos injustificável) de menos de 400 terroristas, durante o regime militar brasileiro, foi algo de incomparavelmente mais grave, mais revoltante, mais intolerável do que a matança de 65 milhões de civis chineses pela ditadura de Mao Tsé-Tung, de mais de 20 milhões de russos pelo governo soviético ou de 2 milhões de cambojanos pela quadrilha de Pol-Pot. Claro, os comunistas são diferentes de nós. Segundo Che Guevara, são "o primeiro escalão da espécie humana". Se você mata um deles, mesmo em defesa própria, é crime hediondo. Se ele mata 100 mil de nós, desarmados e amarrados, torna-se "um herói", que é como o senhor Mino Carta define Fidel Castro.
 

Não deixe de assistira ao filme postado aqui na primeira página do blog e também no canal do YouTube. Se quiser assistira agora clique aqui: Guevara: anatomía de un mito.

Na sua luta pela democracia Che diz textualmente que deve-se "treinar os militantes para que se tornem eficientes e frias máquinas de matar". Ele mesmo assassinou pessoalmente centenas de pessoas e ordenou o assassinato outros de milhares.


René Rodriguez Cruz, comandado de Guevara,
dá um tiro na cabeça da vítima.


Che Guevara considerava que, ao fuzilar prisioneiros inermes, era ele próprio, não eles, a vítima sacrificial. É a inversão revolucionária em estado puro – essencial e arquetípica.



 
Fuzilamento de Cornelio Rojas Fernández.

Vejamos alguns de seus ídolos, e mestres, e os países que admirava:
Lênin, o fundador do Estado Soviético, um dos ídolos de Che Guevara, disse em 1891: "A fome tem várias consequências positivas, a fome nos aproxima de nosso alvo final, o socialismo, etapa imediatamente posterior ao capitalismo. A fome destrói assim a fé não somente no Czar, mas também em Deus"


Em 1921, por ocasião de uma grande fome, pois já era o líder máximo, Lênin reafirmou que "a fome deveria servir para ferir mortalmente o inimigo, a Igreja Ortodoxa". E proibiu ajuda aos famintos. Quem os ajudasse, poderia ser preso. Pereceram nessa fome 6 milhões de pessoas. Mao fez exatamente o mesmo, deixando morre de fome 10 milhões em apenas um dos períodos de fome em seu regime de terror.
Che estudou Lênin, admirava seu discurso: "É preciso lutar contra a religião", "o marxismo é incondicionalmente ateu, decididamente hostil a qualquer religião".

Che tinha grande admiração por Mao porque este tinha ordenado a invasão do Tibete nos anos 50, na qual 1 milhão de pessoas morreram (1 em cada 8 habitantes), e na qual monges foram enterrados vivos.

Dizia que a solução para os problemas do mundo estava atrás da Cortina de Ferro. O que havia lá de tão excelente? O Gulag, a perseguição religiosa, os massacres, a fome premeditada e as polícias políticas. E o Muro de Berlim na paupérrima Alemanha Oriental? Quem quisesse escapar da miséria pulando o muro era fuzilado. Ele adorava fuzilar civis.




 


Um padre consola José Rodriguez antes
da execução em Matanzas, 15 janeiro 1959.


Admirava o governo polonês. Em 1956 na Polônia a multidão, num protesto contra o governo totalitário, gritava "pão e liberdade". Foi reprimida a bala, o que ocasionou dezenas de mortos.

Admirava o governo húngaro. Em 1956, na Hungria, houve a revolução anti-totalitária, na qual a população resistiu com armas na mão contra a invasão soviética. Pereceram 3.000 pessoas e 200.000 fugiram.

Admirava o governo coreano do norte e escreveu: "Dos países que visitamos, a Coreia do Norte é um dos mais extraordinários". Gostou da Guerra da Coreia provocada pelo governo do norte, na qual 500.000 pessoas morreram. Admirava o grande expurgo interno promovido por Kim Il Sung ocorrido algum tempo antes de sua visita, no qual o líder coreano perseguiu e matou milhares de opositores do regime.

Admirava o governo chinês de Mao e disse que "na China não se vê nenhum dos sintomas de miséria que se veem em outros países", referido-se ao "grande salto para frente" de Mao, projeto econômico na China, envolvendo entre outras coisas a coletivização forçada. O resultado do projeto foi a maior fome de toda a história. Mao chegou a exportar comida e impediu a aceitação de ajuda externa. Mais de dez milhões de chineses pereceram de fome.




"Justiçamento" de membro do exército
dos rebeldes em Sierra Maestra.


Che disse que "Cuba devia seguir o exemplo de desenvolvimento pacífico mostrado pela URSS". O "desenvolvimento pacífico", para ele, era o racionamento de comida feito por Lênin, o Gulag, os expurgos de Stalin, a política antirreligiosa de Krushev, a burocracia corrupta de Brejnev, os inúmeros massacres e as perseguições que o Partido Comunista impôs aos soviéticos. Ele admirava estas coisas.



Segundo o ex-companheiro de guerrilha de Che,
Dariel Jiménez Alaecón, "Che subia num muro e,
deitado de costas, observava as
execuções enquanto fumava um charuto.



Cuba, uma ilha-prisão, seguiu bastante o exemplo da URSS: corrupção, expurgos internos, assassinatos, repressão, campos de trabalho forçado (que Che ajudou a construir) etc. Mas o que mais caracterizou a revolução cubana foi o "Paredón", em que Che teve participação ativa, principalmente em La Cabaña onde matou centenas de pessoas amarradas e amordaçadas.


 

A vítima tem os olhos vendados e então é fuzilada
após condenação pelo "tribunal revolucionário".



Junto aos seus ídolos Lênin, Stalin, Mao e companhia, Che contribuiu para a construção do regime que mais matou pessoas em toda a história, o chamado "socialismo real", responsável por mais de 100 milhões de mortos numa conta feita por baixo com base em arquivos abertos da extinta URRS.

Mas talvez nem esses 100 milhões de vítimas bastem para derrubar esse mito que transformou um criminoso arrogante e intolerante, com sua ideologia mentirosa, em um santo aos olhos daqueles com preguiça de aprender História.



Assassinatos de vítimas amarradas faziam a alegria de Guevara.


Guevara era racista ao extremo, como seus ídolos, e chegou a dizer que "o negro indolente e sonhador gasta seu dinheirinho em qualquer frivolidade ou diversão, ao passo que o europeu tem uma tradição de trabalho e de economia." 
Comentando a propósito da população de origem africana na Venezuela, dizia que "os negros mantiveram sua pureza racial graças ao pouco apego que têm ao banho" e que eles, nas palavras de Marx, "como as raças e classes inferiores devem ser submetidas à dominação".



Executados em Santa Clara sob comando
de Che em 2 de janeiro de 1959.


Che Guevara era um assassino e sádico. Após ter fuzilado Chino Chang decidiu punir três rapazes da quadrilha de Chang realizando uma execução simulada. Os rapazes, que já tinham assistido à execução das vítimas, foram submetidos à lição. Em outubro de 1957,Guevara contou em seu diário: "Vendamos os olhos dos três e os submetemos à angústia de um pelotão de fuzilamento simulado. Depois que os disparos foram feitos para o alto, os rapazes se deram conta de que estavam bem vivos. Um deles se atirou nos meus braços e, num gesto espontâneo de alegria e gratidão, me deu um beijo estalado, como se eu fosse seu pai." Gesto espontâneo de alegria??? Sadismo puro de um psicopata.



Na foto acima, Raul Castro venda os olhos do futuro morto.


Em uma carta à sua mãe, Célia, 15 de julho de 1956 o facínora diz: "Não sou Cristo nem filantropo, velha, sou totalmente o oposto de um Cristo. Luto pelas coisas em que acredito, com todas as armas ao meu dispor e tento deixar o outro homem morto, de modo que eu não seja pregado numa cruz ou em algum outro lugar. O que realmente me aterroriza é a sua falta de compreensão de tudo isso e seus conselhos sobre moderação, egoísmo, etc...  ... ou seja, todas as mais execráveis características que um ser humano pode ter. Não só eu não sou um moderado como tentarei jamais sê-lo, e quando eu percebesse que a chama sagrada dentro de mim tinha cedido lugar a uma tímida luz votiva, o mínimo que eu poderia fazer seria vomitar sobre minha própria merda."  Chama sagrada? Dito por um ateu?



Che contou em seu diário como executou o camponês Eutimio Guerra


Sobre o assassinato do "companheiro" Eutimio Guerra, Che escreve em seu diário: "...de modo que acabei com o problema dando-lhe um tiro com uma pistola calibre 32 no lado direito do crânio. Ele arqueou um pouco e estava morto. Ao tratar de retirar seus pertences, não consegui soltar o relógio, que estava preso ao cinto por uma corrente e então ele me disse, numa voz firme, destituída de medo: ‘Arranque-a fora, garoto, que diferença faz?’ Assim fiz e seus bens agora me pertenciam.”  Essa é a doutrina do desapego à propriedade.

O fuzilamento do capitão Alejandro Garcia Olayon.


Nas palavras de José Pardo Llada: "O Che vivia em uma moderna e confortável casa de veraneio na praia de Tarará. Visitei-o ali em 17 de janeiro de 1959." Essa é a doutrina do desapego à propriedade.

Apesar de tudo isso, Frei Beto, "guru espiritual" de Lula, no II Fórum Social Mundial, agora, no século XXI, disse, em um discurso que: “A sociedade do futuro, mais livre, mais igualitária e mais solidária se define em uma só palavra: socialismo”. Pediu uma salva de palmas para Karl Marx e completou que “o homem novo deve ser filho do casamento de Ernesto Che Guevara e Santa Teresa de Jesus”. Esse doente se diz religioso.

Vamos parar este tópico, sobre este verme assassino e sádico, antes de causar mais náuseas nas pessoas com inteligência e que dela fazem algum uso.



Execução sumária pela "justiça revolucionária".



Procure saber um pouco de história antes de sair por aí com uma camiseta com a foto deste monstro ou citá-lo, como grande homem, em "filosofias" de boteco tipo Marilena Chauí. Material não falta, só preguiça, sectarismo ou má vontade.



De acordo com Valladares "No pátio de La Cabaña, à intempérie, chacinaram centenas de pessoas, inclusive algumas mulheres com crianças. Também nos porões, que rodearam de metralhadoras, deixaram livre apenas o porão onde havia o paredão para os fuzilamentos".

5 comentários:

  1. O PT dos assassinos comunistas vai fazer o mesmo no Brasil!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles querem e tentam mas não vão conseguir. Vamos expulsar essa cambada. A quadrilha que instalou no Brasil o governo mais corrupto de nossa história vai para a lata de lixo da história.

      Excluir
  2. Quando iremos as armas? Diálogo com bandido nunca surtiu efeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Penso que, para defender nossa vida e nosso país, em caso de agressão armada, será necessário e justificável o uso de armas.
      A quantidade de pessoas inteligentes que não entregou suas armas para o governo nas campanhas absurdas de desarmamento da população para domínio é enorme. Vamos aguardar. Acho que não existe, do lado do crime esquerdista, gente disposta a matar e morrer por líderes tão mentecaptos.

      Excluir
  3. Um esquerdista tentou postar aqui uma demonstração de sua ignorância, má fé e covardia.
    Vejam o que ele postou, de forma anônima demonstrando a parte da covardia.
    "De onde saiu tanta bobagem? Por favor, quando que CHe descrreveu uma barbaridade daquelas? Que imbecil és vós!"

    A ignorância fica clara ao se observar que trata-se de alguém incapaz de interpretar um texto e de se expressar corretamente. No texto acima está claramente descrito que as frases do assassino foram tiradas de seu diário. Há ainda citações de publicações, entrevistas e vídeos, como o discurso na ONU, onde ele fala claramente que está assassinando milhares de pessoas no paredão. Ignorar fatos tão conhecidos é ser ignorante.

    A parte da má fé está explícita no fato de que esse infeliz nem ao menos leu o texto e já partiu para questionar a exposição de seu ídolo à luz da realidade. Se ele tivesse assistido ao filme citado num link do texto, e tivesse condições de interpretar as imagens e narrativas, ele não se meteria a apenas repetir as velhas mentiras da esquerda, aqui demolidas e já conhecidas universalmente.

    O fato de tentar parecer ter alguma cultura mas se expressar de forma errada e até engraçada, num tipo de dilmês, demonstra que deve ser alguém jovem e mal formado. Provavelmente aluno de faculdade brasileira tentando se passar por intelectual. Uma pena. Seria bom aprender mais a própria língua antes de tentar impor qualquer cretinice para não passar vergonha também na forma pois, no conteúdo, já é realmente uma piada.

    ResponderExcluir

Escolha como perfil a opção Nome/URL e coloque seu nome ou use sua conta no google.
A moderação dos comentários é necessária para evitar ataques de hackers.
Em poucos minutos seu comentário estará postado.
Comentários sem nome não podem ser publicados.