O objetivo deste blog é expor algumas realidades históricas distorcidas pela propaganda esquerdista.
Baseado em livros, documentos e entrevistas, aponta fatos que a mídia quase não publica.
Nasci em 1960 e acreditei em algumas destas mentiras.
Só depois de deixar de agir como um carneiro de Panúrgio, é que fui atrás da verdade dos fatos.
Nada do que está escrito aqui é minha criação.
Esse material pode ser facilmente encontrado por quem estiver disposto a aprender.

"A luta armada no Brasil surgiu para combater a ditadura militar"

Essa mentira foi enfiada na cabeça dos brasileiros no velho estilo da esquerda: o de mentir até mesmo a ponto de inverter a cronologia histórica.
Uma vez que toda a informação, para a maioria das pessoas comuns, sempre vem de fontes da imprensa, onde a quase totalidade das redações é composta por esquerdistas desde a década de 70, essa mentira passa ainda hoje por verdade para os mais idiotas. Os fatos, que podem facilmente ser verificados, são bem diferentes.

A esquerda armada no Brasil se iniciou antes de 1964 quando o socialismo revolucionário trouxe métodos empíricos, do chamado político, pelos anarquistas espanhóis, portugueses e italianos que fundaram, no início do século XX, os primeiros sindicatos do País.

Cerca de 120 pessoas foram mortas por guerrilheiros de esquerda no mesmo período.

Militantes de grupos de luta armada criaram um discurso tão eficaz quanto mentiroso: Quem questiona vira adepto da ditadura, reacionário, direitista. Assim, evitam o debate e fazem com que pessoas de boa intenção nem mesmo ousem falar nada para evitar serem rotuladas pelos alienados.

Em janeiro de 1961, o dirigente das Ligas Camponesas, Francisco Julião, visitou a República Popular da China, integrando uma delegação de brasileiros, entre os quais estava Sinval Pereira, militante do PCB.
Em Pequim, Julião teve um encontro secreto com dirigentes chineses que, falando em nome de Mao Tsé-Tung, lhe fizeram a proposta de treinar militantes das Ligas Camponesas na Academia Militar de Pequim.
Julião retornou ao país e iniciou os preparativos para montar o grupo. Três agentes chineses vieram ao Brasil, especialmente destacados para atender as Ligas, encontrando-se com Julião no Rio de Janeiro. Os planos, todavia, tiveram que ser suspensos por causa da crise política que se seguiu à renúncia do presidente Jânio Quadros. Jânio tentou dar um golpe por duas vezes mas, na terceira, tomou um contragolpe.

Por volta de novembro de 1961, começou a ser executado um projeto político-militar das Ligas Camponesas. Francisco Julião percorria o país convidando militantes do PCB para aderirem à Revolução Socialista através da luta armada. O líder da revolta camponesa de Formosa (Goiás), José Porfírio de Sousa, foi convidado por Julião para ser o instrutor militar da guerrilha.

 



O jovem Cabo Odílio foi o primeiro militar assassinado 
por terroristas na tentativa de impor, à força, 
o regime comunista no Brasil.


Analisando o período da ditadura militar brasileira, vários autores destacaram que a esquerda armada, desejando tomar o poder e fazer a revolução, terminou servindo de justificativa para o golpe de 64. A luta armada não passou de ações isoladas de assaltos a bancos, sequestros, ataques a instalações militares e só. Apoio popular? Nenhum.

Muitos dos grupos existiam antes de 1964 e outros foram criados logo depois, quando ainda havia espaço democrático (basta ver a ampla atividade cultural de 64 a 68). Ou seja, a opção pela luta armada, o desprezo pela luta política e pela participação no sistema político e a simpatia por assassinos como Che ou Fidel antecedem o AI-5 (dezembro de 1968), quando, de fato, houve o fechamento do regime do qual a  esquerda é a única causa responsável.

 






A primeira turma de guerrilheiros enviada a Cuba para fazer treinamento seguiu em 1962, dois anos antes do golpe, portanto. E isto consta do livro de um ex-guerrilheiro (Combate nas Trevas - A Esquerda Brasileira, livro escrito por Jacob Gorender, um  marxista-leninista, ex-integrante do Partido Comunista Brasileiro e fundador do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário) e não por alguém da direita.
O projeto revolucionário da esquerda, como visto, não tinha nenhuma relação com o fato do Brasil estar ou não sob uma ditadura, mesmo porque o conceito de democracia não é reconhecido pela esquerda, que o considera uma falsificação burguesa. A ditadura de Getúlio, por exemplo,  jamais foi acusada de nada pela nossa esquerda.

Basta ler os jornais da época para ver que entre 1962 e 1964 o Nordeste havia se tornado um barril de pólvora. Ocorriam conflitos armados entre as Ligas Camponesas e a sociedade civil, que começou a se armar. Ocorreram muitas mortes provocadas por estes loucos assassinos antes de 64.

A montagem dos campos de treinamento já em 1961 desmonta a tese esquerdista, segundo a qual a guerrilha só surgiu porque havia uma ditadura. Mais uma mentira pois a luta armada começou a ser preparada e já atuava bem antes.


 


Este era o destino que nossos "heróis" dos grupos 
armados queriam impor a nosso país.
Eles, é claro, seriam os que não estariam segurando os cartazes.



Que grande país não seria o nosso se os que foram derrotados em 1964 tivessem vencido? Basta ver os planos que tinham em mente e o que sonhavam para nós.
Uma das referências era Cuba. A outra era a China, mas não esta China com economia capitalista que está aí. O que se admirava era aquela de Mao. Depois a Albânia é que passou a ser a referência dos PCdoB, por exemplo. Aí vieram os "homens maus" e impediram que aqueles "heróis" realizassem seus desígnios.

 



O traidor Carlos Lamarca com sua companheira 
Iara Iavelberg aprendendo a matar.
Mais tarde Iara, que também foi namorada de José Dirceu, se suicidou.



Não resta a menor dúvida de que existem guerrilheiros sendo treinados e organizados, sob a tutela do governo federal do PT, para atuar em ações de terrorismo com a finalidade de criar um caos que permita a decretação do estado de segurança, do qual o país não sairá mais a não ser depois da implantação de uma ditadura comunista.
Alguns fatos deixam muito clara a existência da conspiração contra a democracia:
- o Foro de São Paulo
- os campos de treinamento de guerrilha fartamente documentados pela revista Isto é, cuja reportagem teria que ser a base para o início de um processo com base na Lei de Segurança Nacional.
- a Comissão da "verdade".
- Os black blocks e ninjas, comprovadamente manejados pelo palácio do planalto, que praticam atos de vandalismo para tirar o povo dos protestos de rua. 

A democracia carece da atuação imediata das forças armadas, sob pena de o país tornar-se um inferno cruel como sempre desejaram os nossos atuais "líderes". 

Poderia ficar enchendo este espaço com mais citações de arquivos, jornais e fontes que podem ser facilmente verificados desde que não se procure somente entre adeptos dos assassinos de esquerda. Procure saber.

5 comentários:

  1. Muito bom esse Blog. Está me ajudando muito! Parabéns, estou divulgando no face mas não estou tirando seus créditos. Espero que não se importe, pois a causa é nobre e de extrema importância e emergência. Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, o objetivo é livrar o Brasil dessa doutrina assassina. Toda divulgação é importante. Abraço

      Excluir
  2. eu servi ao exército a alguns anos, sou jovem tenho apenas 24 anos trabalho tdos os dias inclusive aos finais de semana para ter uma condição melhor na vida, estou cansado de ver meu dinheiro parado em bancos em paraísos fiscais do mundo a fora, estou cansado de ver corruptos dando risada das nossas caras, roubam tdo o que podem e roubam de novo e de novo, sem punição exemplar, o pior os homens das leis os juízes que por juramento dizem defender o que é certo e justo só favorecem essa corja corrupta do país! eu sou mais do que a favor de uma revolta armada, meu grupo de amigos cansados dessas safadezas com o nosso país está pronto pra pegar em armas e arrancar nos dentes essa corja corrupta esse câncer do nosso país, exército, nos ajude a virar esse jogo, condene a morte esses lixos, lixos não, pq o lixo pode ser reciclado, mas de um fim nesse câncer político nacional, crie forças voluntárias da população, criem grupos armados com a população de bem, vcs verão que tem mais apoio do que imaginam!

    ResponderExcluir
  3. SOCIALISTAS OU SOCIAL OPORTUNISTAS?

    “Nenhum deles, do grupo de Lula, vive modestamente. Não há nada em suas vidas que chegue perto de socialismo ou comunismo”. Pena que as pessoas não se interessem pela leitura, pelo conhecimento, pela cultura de modo geral. Por isso são tão enganadas. Se tivessem o mínimo de leitura histórica saberiam a diferença entre socialismo e social-oportunismo – essa mentira que tomou conta do Brasil.

    Lula nunca foi socialista, Lula era sindicalista. Um nordestino fodido, sem instrução, encostado pelo INPS por causa de seu dedo picotado. Maltratado pela soberba do empresariado também era visto com indiferença pela alta sociedade paulistana, dita “quatrocentona”. Por isso ele os chamava de “as elite branca”. Embora falando errado, como até hoje, não estava errado quando se insurgiu contra esses grupos empresariais que dominavam o Brasil, em uma prepotência ostensiva, própria dos ricos e endinheirados.
    Quando Lula apareceu no cenário do sindicalismo no ABC, promovendo greves, o setor de prestação de serviços e a livre iniciativa ainda engatinhavam. A soberba empresarial predominava, absoluta. Como até hoje, porém sobrou apenas a soberba - porque a indústria está em parte sucateada. Os que também se diziam socialistas e comunistas eram José Dirceu, José Genuíno, Lindberg Farias, Dilma Roussef, Franklin Martins, Fernando Gabeira, entre outros, que fizeram parte da União Nacional dos Estudantes, ou grupos guerrilheiros como MR8, ALN - Aliança Libertadora Nacional, POLOP - Organização Revolucionária Marxista, COLINA - Comando de Libertação Nacional, e VPR – Vanguarda Popular Revolucionária – todos extremistas, que defendiam a luta armada contra a Ditadura durante o Regime Militar. O tempo passou, os grupos se acabaram. Então juntaram-se as velhas raposas políticas do PMDB, com os comunistas e social- oportunistas do PT e demais partidos da base aliada. Unidos, continuam em nome do populismo, defendendo o socialismo – a tal ditadura do proletariado - embora estejam todos ricos. Milionários, melhor dizendo. Essa é a fórmula para se manter no poder. Socialismo de fachada. Comunismo de aparência. A ditadura do proletariado virou cleptocracia - social oportunismo ... eles sabem o discurso populista que devem usar para atingir as classes menos favorecidas, os pobres, os miseráveis. Por isso as ações sociais dos programas Bolsa Família, Minha Casa Tua Dívida e o Fomiséria, cujo maior objetivo é eleitoral – colocar essa gente, a canalha inculta, com espírito de manada, dentro de um curral eleitoral – mantendo-os ali dentro, como massa de manobra. Nenhum deles, do grupo de Lula, vive modestamente. Não há nada em suas vidas que chegue perto de socialismo ou comunismo. São assaltantes, criminosos condenados no passado por sequestro, furto, estelionato e assalto a bancos. São mentirosos e sem-vergonha! Gritam pelos mais pobres, todavia vivem cercados de luxo, de conforto, de mordomia. A indústria do discurso e da gatunagem contra a indústria que produz. Esse é o truque que usam e que a maioria ainda não percebe porque não se deu ao trabalho de ler a biografia de cada um deles. Todos tem a ficha muito suja – envolvidos em grande número de processos. Respondem a acusações criminais no STF, por crimes de responsabilidade, corrupção, lavagem de dinheiro, crimes eleitorais e contra a Lei de Licitações, ao longo de toda sua trajetória política. Essas pessoas que hoje se voltam contra o “impeachment” de Dilma, que protegem a reputação de Lula com fúria apaixonada, ou são reconhecidamente ignorantes por falta de leitura de história ou são mesmo como “Eles” – social oportunistas – desonestos de igual têmpera, que aplaudem o ladrão como se estivessem querendo te convencer que o crime compensa. Ou então, estão bebendo cachaça no gargalo da garrafa porque é impossível ficar indiferente a biografia desses vigaristas que citei lá em cima. É só pesquisar. Se fosse tua uma dessas biografias, já estarias preso, caro leitor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na realidade, esses que vc citou são, sim, comunistas de verdade. Se observar, todos os líderes desse movimento criminoso sempre foram apenas vagabundos espertos.
      Lula, dilma, e o resto do bando, fazem exatamente o que é o socialismo. O fato de ser um fodido, ignorante e encostado em sindicato já mostra que sempre teve o perfil ideal. Stalin, Mao, entre outros, eram apenas assaltantes de bancos e trens.
      Não existe esse negócio de "o socialismo é puro mas alguns criminosos usam seu nome".
      O que estamos vendo e sofrendo é o socialismo/esquerdismo/comunismo/progressismo sendo aplicado em sua verdade. Isso é criminoso.
      obrigado pelo comentário

      Excluir

Escolha como perfil a opção Nome/URL e coloque seu nome ou use sua conta no google.
A moderação dos comentários é necessária para evitar ataques de hackers.
Em poucos minutos seu comentário estará postado.
Comentários sem nome não podem ser publicados.